segunda-feira, dezembro 15, 2008

A prendinha-sapatinho para George W. Bush





O jornalista iraquiano, para além de dizer "este é o teu beijo de despedida, cão", disse ainda "és filho de quarenta cães". Pensei na Besta Ladrador dos romances arturianos...

Outra coisa interessante, foi a análise "antropológica" das palavras e dos actos do jornalista iraquiano:

"cão" é um dos piores insultos no mundo árabe. Sim, pois e em Portugal não...

e um jornalista da BBC cita peritos " who have informed the public that "throwing a shoe at someone's face is considered an insult in Islam". Deve ter sido por isso que o George W. Bush não pareceu ficar afectado com a agressão, já que no mundo Ocidental, atirar sapatos à cara de outras pessoas é um acto que revela amor e respeito pela pessoa a quem o sapato é atirado...

Orientalismo de pacotilha....


Joana

2 comentários:

Sónia Duarte disse...

Reflexos da globalização... antigamente só no mundo árabe é que o lançamento de sapatos era um insulto muito sério, sobretudo, quando o atacante lançava todos os que tinha calçados... neste caso, dois...
Hoje em dia, com a Internet e o intercâmbio entre o mundo árabe e o chamado "mundo ocidental", atirar sapatos num acto político transformou-se num e noutro lado uma manifestação de liberdade de expressão...

Paulo disse...

Concluí, finalmente, que a principal força do Universo é a "marroquinaria". Eu sempre disse que "marroquinaria" e "marrocos" eram coisas afins e agora, fala-se muito num atirador furtivo de sapatos - consta que é muçulmano e atirou " dois sapatos" ao Sr. Bush - eu não vi nem um mas, sendo verdade, também não faria sentido ficar-lhe um pé calçado e outro descalço.
Mas pensei: «Não estarão a exagerar? Se o atacante fosse uma holandesa com tamancos - então sim - isso já seria uma ameaça considerável à integridade física (à moral, seria impossível). Mas, um árabe! Não são os árabes, afinal, que andam descalços ou com sandalitas?»
Foi, confesso, um pensamento preconceituoso e terceiro-mundista... não menosprezem as sandalitas árabes (http://bitaites.org/friccoes/sandalias-iraquianas-revisitadas).
Mas - que raio - como é possível atacar os Estados Unidos com tão parcos recursos? Com uns canivetes, demoliram as torres gémeas e atacaram o Pentágono; com envelopes e farinha espalharam um pânico internacional; agora, improvisam com sapatos... Por isto é que não encontraram armas no Iraque: esqueceram-se de olhar para os pés dos iraquianos; não entraram nas padarias; ignoraram os cuteleiros...
E agora? Já viram o que nos espera? Ninguém mais vai poder entrar calçado num avião! Sem canivetes ou sem farinha até aceito... Mas, descalço, é demais! Não estarão já a imaginar o nosso Primeiro Ministro a viajar de avião, calçado, a fumar e a comer pão? Porque é que ele pode e os outros não?
Peço muito para que, da próxima vez que atacarem os Estados Unidos, usem uma garrafinha de Coca Cola e uns Menthos - acabem com estas porcarias.
Será mesmo verdade que os elefantes têm medo dos ratos?
Ora bem - aqui está a solução para derrubarmos os paquidermes que nos governam.